Terça, 22 de Junho de 2021 17:27
34 9987 27 0 11
Economia Economia

Alta na Selic não atingirá taxa de crédito imobiliário no curto prazo

Especialistas acreditam que bancos vão absorver elevações por trabalharem com margem de juros confortável nessas linhas

17/05/2021 02h10
Por: Irineu Castanheira Fonte: R7 - Márcia Rodrigues, do R7
Crédito imobiliário deve permanecer estável mesmo se Selic chegar a 5.5% ao ano - (Foto: Pixabay)
Crédito imobiliário deve permanecer estável mesmo se Selic chegar a 5.5% ao ano - (Foto: Pixabay)

As duas altas consecutivas da Selic (taxa básica de juros) e a expectativa de novas elevações nos próximos meses, não devem refletir nas taxas do crédito imobiliário em 2021, segundo especialistas ouvidos pelo R7 Economize.

O Copom (Comitê de Política Monetária) do BC (Banco Central) subiu a taxa básica de juros da de 2,75% para 3,5% ao ano no dia 5 de maio e a expectativa é de que a Selic chegue a 5,5% ou 6% até o fim do ano.

Para Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor-executivo da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), as taxas do financiamento imobiliário devem permanecer como estão.

Até março, a taxa básica de juros vinha registrando uma série de quedas desde julho de 2015 e a sequência de reduções consecutivas desde julho de 2019, chegando ao menor patamar da história.

A alta da inflação e as incertezas da economia por causa das crises financeira e sanitária geradas pela pandemia de coronavírus pesaram na decisão do Copom para elevar a Selic.