Página Inicial / CIDADE / Histórias relembram aniversário do Estádio Parque do Sabiá

Histórias relembram aniversário do Estádio Parque do Sabiá

Oitavo maior estádio do país completa 36 anos neste domingo (27)

Palco de importantes eventos esportivos e culturais, o Estádio Municipal Parque do Sabiá completa, neste domingo (27), 36 anos. O jogo inaugural foi em maio de 1982, entre Brasil e Irlanda do Norte, com goleada brasileira pelo placar de 7 a 0 – considerado até hoje o principal evento realizado no ‘Gigante do Parque’, que é o oitavo maior estádio brasileiro, conforme ranking oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). No âmbito local, o destaque fica por conta da campanha vitoriosa do Uberlândia Esporte Clube (UEC), que culminou na conquista do título inédito da Taça CBF pelo time em 1984.
Ao longo de todos estes anos, o estádio Parque do Sabiá sediou ainda outros amistosos da Seleção Brasileira. Os jogos foram contra o contra Chile, Paraguai e Bulgária. Também foi palco de jogos do Campeonato Sul-Americano de Futebol Feminino, da Copa dos Campeões Sul-Americanos de Clubes, do Campeonato Brasileiro de Clubes e o Campeonato Brasileiro de Clubes de Futebol Feminino, além de várias partidas válidas pela Taça Libertadores da América. Na área cultural, foram realizados shows da banda norueguesa A-Ha, Roberto Carlos, David Guetta e edições do festival Triângulo Music

De pai para filho

A maior emoção do presidente da Torcida Organizada Inferno Verde, Flaviano Henrique Rodrigues, no estádio, é lembrada com carinho. Torcedor desde criança, por incentivo de seu pai, Bento Rodrigues, o jogo de sua história é o do acesso do UEC em 2006, contra o União Luziense. “Desde criança, meu pai me levava ao estádio e aprendi a torcer para o Uberlândia Esporte Clube (UEC). Entre tantos momentos, destaco aquele jogo final do Módulo II do Campeonato Mineiro em 2006, quando o Verdão venceu o União Luziense por 3 a 0 e conquistou o acesso para o Módulo I. Quase 30 mil pessoas estavam no estádio e foi muito emocionante”, lembrou.

A paixão pelo Verdão segue viva na família de Flaviano, que tem 42 anos. A tradição que era vivida entre ele e o pai, agora é repassada aos filhos do emissor internacional. “Assim como eu ia com meu pai, hoje levo meus filhos – Henrique e Lucca, que também estão se apaixonando pelo Uberlândia. No Estádio Parque do Sabiá, eles já estão se sentindo em casa”, afirmou.

Marcado na memória

Para o corretor de imóveis, Anderson Evangelista, de 62 anos, o seu principal momento no estádio foi mesmo a partida de inauguração, com a vitória do Brasil sobre a Irlanda do Norte. “Foi um momento fantástico. Aquela noite foi de arrepiar”, disse.

Mesmo o jogo acontecendo há 32 anos, o corretor lembra cada detalhe da festa e recepção dos moradores. “Naquele 27 de maio, formamos uma grande turma para assistirmos ao jogo, que era a despedida da Seleção Brasileira. No dia seguinte, o time embarcaria para a Espanha. Meu sogro tinha comprado várias cadeiras, viemos em família e fizemos uma verdadeira farra antes e durante a partida. Quando entramos no estádio, nem parecia que estávamos em Uberlândia. O estádio lotado, aquela festa toda parecia coisa de outro país. Até hoje, fico arrepiado quando lembro tudo o que aconteceu na inauguração. A Seleção Brasileira deu um verdadeiro show no gramado e a torcida correspondeu nas cadeiras e arquibancadas,” contou.

Para a história

O jornalista e narrador esportivo Odival Ferreira, de 69 anos, comandante da famosa equipe Carcará, da extinta Rádio Uberlândia, considera a construção do Estádio Parque do Sabiá um marco importante para a cidade. “O estádio é um orgulho para o povo de Uberlândia. Ninguém acreditava muito na sua construção mas depois que o serviço foi iniciado, o canteiro de obras passou a ser uma atração turística da cidade”, lembrou.

Odival ainda revelou um fato curioso ocorrido pouco antes da partida inaugural. “Lembro de um apagão que houve pouco antes do jogo entre Brasil e Irlanda do Norte. A história contada na época era que o fato se deu para que o então presidente João Batista Figueiredo chegasse à tribuna de honra do estádio sem ser visto, já que supostamente havia receio de que houvesse algum tipo de manifestação contrária à sua presença. A questão é que rapidamente a iluminação foi restabelecida e a festa foi garantida, com a goleada do Brasil para alegria dos mais de 75 mil torcedores que estavam no estádio”, completou .

Segundo o narrador esportivo, anos mais tarde veio à tona o verdadeiro motivo do apagão. Quem fez a revelação foi o amigo e responsável pelo serviço de iluminação do estádio, Zorival Tavares. “Ele me contou que um fusível queimou e não tinha outro reserva. A alternativa foi fazer uma gambiarra e rezar para dar certo. Felizmente, funcionou e tivemos uma grande festa na inauguração do estádio”, finalizou.

Trabalho permanente

O diretor geral da Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (Futel), Silvio Soares dos Santos, destaca a importância do estádio e lembra que, desde janeiro de 2017, a Prefeitura de Uberlândia, por meio da Futel, tem trabalhado na sua revitalização. “A importância do estádio é muito mais abrangente porque é um espaço que está com todos os laudos atualizados para continuar recebendo eventos importantes. Também estamos, desde o ano passado, fazendo melhorias como a revitalização do hall de entrada, reboco e pintura em paredes, além de melhorias nas condições de segurança, iluminação interna e parte hidráulica”, finalizou.

SECOM

Você pode Gostar de:

Encerrada a semana do desarmamento infanto-juvenil

O encerramento da Semana de desarmamento infantujuvenil aconteceu no Parque do Sabiá A iniciativa, que …

Abrigos de ônibus estão sendo instalados no Residencial Pequis

Implantação de novos equipamentos será realizada – na primeira etapa – em 50 bairros de …

Grande São Jorge recebe neste sábado (17), Poli em Ação

Evento levará diversas atividades de lazer e esporte ao São Jorge O bairro São Jorge …